Os Quatro Tipos de Julgamentos por Hutcheson

Joseph C. Hutcheson Jr. foi um Juiz e Senador Americano que em sua juventude, desdenhoso, reconhecia quatro (4) tipos de julgamento:

“O primeiro cognitivo, reflexivo baseado nas palavras e discurso; o segundo aleatório pela sorte obtida pelo lançamento dos dados; o terceiro intuitivo pelo sentimento e palpite e um quarto que era o asinino, feito por um burro.”

Sendo os últimos três, variáveis de cada uma delas e todos três alheios aos processos conduzidos pelos bons juízes.

Joseph C. Hutcheson Jr. foi um Juiz e Senador Americano que em sua juventude, desdenhoso, reconhecia quatro (4) tipos de julgamento. Leia o texto e entenda melhor. BKS
Joseph Hutcheson

Os quatro tipos de julgamentos e Posner:

Com essa citação de Hutcheson, Richard Posner inicia o primeiro capítulo da obra “How Judges Thinks“. Posner é um dos principais articuladores da corrente de pensamento jurídico Law and economics – Análise econômica do direito.

Os tipos de julgamentos e Posner: Posner é um dos principais articuladores da corrente de pensamento jurídico Law and economics – Análise econômica do direito. BKS
Richard Posner

Em 1972, Posner lançou sua obra “Economic Analysis of Law”, com as bases do programa de pesquisas de Law & Economics.

O livro de Posner, denominado “How Judges Thinks” visa compreender quanto é permitido ao Juiz e como este usa a liberdade em seus julgamentos. O livro foi desenvolvido no momento da substituição no ano de 2007 do Juiz da Suprema Corte Americana O´connor, um moderado conservador, pelo Juiz Alito um extremo conservador. Esta mudança, modificou a forma de julgar da Corte, demostrando que a substituição de juízes muda a lei, sendo então a nação governada por magistrados e não pela norma.

 
Continue vendo outros de nossos posts em beckhauser.com/blog.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

taxes, tax evasion, police-1060139.jpg

Compreendendo a Lei Nº 14.740/23: Autorregularização Fiscal e Processos Administrativos Tributários

O post detalha a Lei Nº 14.740/23, focando em sua aplicação limitada a processos tributários específicos. Esclarece que beneficia casos com negativas de homologação de compensação, oferecendo oportunidades para regularização fiscal com vantagens como redução de juros e multas. Enfatiza a importância de consultoria especializada para avaliar a elegibilidade e estratégias de adesão ao programa.